TVS/SBT

Meu primeiro trabalho em TV foi no Bozo na então TVS em meados dos oitenta.

Meu despertador tocava as cinco. Eram seis horas de programa ao

vivo das oito da manhã as duas da tarde.  Pauleira!

Do lado do nosso estúdio gravava o  Sergio Malandro e no no final do

corredor ficava o estúdio da Mara Maravilha. Dava pra escutar ela cantando.

O camarim fervia. No dia de Hebe, então.... Era demais. Só não era quando chovia.

 

Uns anos depois voltei pro SBT pra fazer o programa TV Animal, apresentado

pelo Gugu Liberato. Eu era responsável pelas externas do programa, preparava os roteiros,  gravava no zoo de São Paulo, em Parques, Circos, mas o que me divertia mesmo era viajar Brasil afora pra gravar o quadro Bichinho de Estimação, onde os artistas apresentavam seus amados bichinhos e suas casas.  Era legal. Em cada afiliada eu conhecia uma nova equipe. A gente gravava em U-Matic e eu carreguei muito VT.

 

E Sílvio Santos vem aí. Claro!

Trabalhar no SBT e não trabalhar com o Silvio Santos é como ir a

Roma e não comer macarrão. Honra dupla, trabalhar com o patrão

e com o Lombardi.

Eu montei e girei muitas letrinhas atrás do painel do programa Roletrando.  

- Tem letra A no painel, Marcela?

- Teeeeeeem.  - e a luz acendia e eu girava!

Ainda nos oitenta, entre a TVS e o SBT passei uns anos na TV Gazeta.

Depois do Bozo era vez de trabalhar com a dupla de palhaços Atchim & Espirro no Brincando na Paulista. O programa também era ao vivo, com três pessoas na produção.  A gente fazia tudo. Nem me pergunte como a gente conseguia, mas a gente conseguia.

Algumas centenas de programas depois, os palhaços foram pra outra TV e eu fui pro Departamento Musical, lá eu gravava, editava, preparava os roteiros, fazia a programação musical e produzia o programa Clip Trip. Além dele,  ainda rolava uma força tarefa nos outros programas do departamento musical como Big Stars, Edição Especial... E outros fora dele como Mix Mil, Mix Eleições, Piores do Ano, Circuito Night & Day, São Silvestre...

Aprendi um monte na TV Gazeta. Lá eu fiz grandes programas e grandes amigos.

 

TV GAZETA
TV MANCHETE

No começo dos noventa fui do SBT pro mundo.  O nascimento da TV Manchete São Paulo prometia. Prometia tanto que eu acreditei. Todo santo dia eu atravessava a ponte do Limão a pé sonhando em entrar numa Vimave e comprar um fusquinha pra mim, mas o sonho não se tornou realidade.  Depois de um tempo como coordenadora de produção do programa Milk Shake, apresentado pela Angélica, e outros trampos e funções, a casa caiu e fomos todos demitidos com os salários atrasados e sem direito ao bandejão que naquela altura só oferecia acelga e salsicha. Até hoje, acelga pra mim tem gosto de TV Manchete.

 

TV BANDEIRANTES

Antes da metade dos noventa fui pra Band. Localização linda, dois busões pra ir e dois pra voltar, ambiente agradável, um rango de primeira, as cestas de Natal mais inesquecíveis da TV brasileira e mais amigos queridos. 

Foi lá meu primeiro cargo de Produtora Executiva, no também primeiro Game Show do Brasil, o “Supermarket”- apresentado pelo Ricardo Corte Real. A gente montou um supermercado nas duas temporadas do programa. Tinha de Margarina a sabão em pó. Que viagem. 

A Silvia Poppovic gravava no estúdio do lado e o ar condicionado bombava.

Em alguns anos de Bandeirantes, eu dirigi externas pra vários programas esportivos e jornalísticos, além de produzir e editar retrospectivas e especiais. O Especial Doces Bárbaros foi o mais memorável de todos, no Morro da Mangueira com Gal, Caetano, Gil, Maria Bethânia, verba de viagem e vários tikets refeição.  Iéié!

 

TV GLOBO

Perto do fim dos noventa, depois da sair da Band,  passei uns tempos como freela fazendo produção para comerciais de TV e roteiros para vídeos institucionais e eventos. Foi em um deles que acabei voltando para TV, desta vez para a Vênus Platinada.

Fui ser roteirista do Programa Vídeo Show. Na época apresentado por Miguel Falabella, Ciça Guimarães e Renata Ceribelli.